Pipa.com.br
Reserve
agora
Destino:
Chegada:
Saída:
0 noites
Nº pessoas:
Turismo - 30 de Agosto de 2016
por Gustavo Farache - Jornalista Fest Bossa & Jazz

Fest Bossa & Jazz Circuito 2016 movimenta cenário turístico e econômico

Após dois dias de programação gratuita na capital potiguar e três dias na exuberante Praia da Pipa, em Tibau do Sul, o Fest Bossa & Jazz finaliza sua edição 2016 em grande estilo. Entrosamento sociocultural, senso democrático, aprendizado, conhecimento e um alto nível musical são os legados deixados a cada ano pelo Fest Bossa & Jazz.




Desta vez, dividido por duas etapas, a primeira realizada em maio e a segunda neste mês de agosto em Natal-RN, nos dias 25 e 26, e em Pipa, de 26 a 28. O evento, organizado por Juçara Figueiredo Produções e com sete anos de estrada, não oferece apenas grandes shows com artistas locais, nacionais e internacionais, oferta também, à comunidade, cultura, informação, oportunidade, empregabilidade e move a economia local.




Um exemplo na mudança do comportamento econômico, em destaque, Pipa. De acordo com Bartira Seixas, turismóloga e coordenadora operacional do Fest Bossa & Jazz, este é o período de baixa temporada, no entanto, com a realização do Festival, o local recebeu milhares de pessoas, circulações significativas em ruas, restaurantes, shoppings, bares e hotéis. "Não se pode negar que a passagem do Fest anima comerciantes e autônomos. Estabelecimentos lotados, ruas movimentadas e a maioria dos hotéis e pousadas registrando uso de 80% das acomodações”, esclareceu Bartira.



Para a subsecretária de Turismo do Rio Grande do Norte, Solange Portela, esse tipo de evento é uma opção inteligente para o turismo. "Nos demais períodos de baixa estação temos que buscar muitas maneiras e alternativas de convidar o visitante. Esse evento além de atrair naturalmente e modificar o cenário turístico e econômico, agrega valor social, aliado a cultura no momento em que oferta, de forma gratuita, apresentações com artistas de renome, oficinas e workshops”, comenta Portela.



A organizadora, Juçara Figueiredo, enfatiza que o sucesso pôde ser visto até o último momento da programação, ocorrida no final da tarde de ontem (28), no Pipa Beach Club que ficou pequeno para receber o TAMAREANDO (parceria com o projeto TAMAR) com Sérgio Groove, Yranh Barreto e Silvio Franco e a Jam Session, momento realizado em todos os dias após os shows principais, no qual artistas se reúnem em locais diferentes e se revezam em instrumentos e canções, animando o público. "Esta edição nos surpreendeu muito. Na primeira noite de shows em Pipa nos deparamos com um público de 15 mil pessoas e na segunda e última noite, em torno de oito mil em um espaço de 17 mil metros”, declara Juçara Figueiredo, organizadora do Fest.



Nos espaços dos shows, seguranças, equipes de apoio, praça de alimentação, feira de artesanato, camarote VIP e lojinha à disposição das pessoas. No decorrer das noites nos Palcos Principais, tanto em Natal quanto em Pipa, subiram 12 atrações, sob a curadoria musical e coordenação artística de Liz Rosa, entre eles: Clara Menezes (RN), Filó Machado (SP), Grana Louise (EUA), Frank Lemos (RN), Dani e Débora Gurgel Quarteto (SP), Mark Lambert (EUA), Nino Costa (RN), Mestrinho (SE), SESI Big Band e seu convidado Lenine (PE), Mad Dogs (RN) com Chico Chico, Júlia Vargas e Rodrigo Garcia (RJ), Bossacucanova (RJ) e Raphael Wressnig (Áustria).




Durante o dia no Good Morning Jazz e nos intervalos das apresentações, a Street Band animava o povo. As Sunsets Sessions esquentavam o clima para a noite com participação de Sérgio Groove, Yranh Barreto, Marco da Costa e Live Foyn Friis.




O público formado por pessoas de todas as idades, diferentes esferas socioeconômicas, de muitos estados e nacionalidades fascinadas pelas performances acentuadas de todos os músicos convidados e envolvidos. "É a primeira vez que participo e amei a proposta do Festival em oferecer, gratuitamente, essa qualidade musical”, expressa Nara Freitas, de Recife-PE. Para a Argentina, Noelia Lopez, toda a estrutura é de se admirar, inclusive as atividades que acontecem nas manhãs e tardes.




Nas oficinas, crianças e jovens encantados com a descoberta da possibilidade de confeccionar até 12 tipos de instrumentos com real funcionalidade. Nos workshops, músicos, aprendizes e amantes desta arte em um exercício contínuo de conhecimento. Para Alexandre Ferro, instrutor das Oficinas de Instrumentos Musicais com Material Reciclável, a conscientização e o aprendizado estão entre os relevantes legados. "As oficinas de Natal e Pipa receberam cerca de 280 crianças de escolas públicas e comunidades, todas com o nítido interesse em aprender e desenvolver uma veia artística”, explicou Alexandre.




Esse encontro musical democrático contou com o patrocínio da Cosern – Grupo Neoenergia e Oi através do Governo do Estado do Rio Grande do Norte pela Lei Câmara Cascudo com apoio cultural da Oi Futuro, Cyrela Plano & Plano, SESI Sistema FIERN, Luck Receptivo, parceria do SESC Sistema Fecomércio, Castelo Casado – Iluminações e Estrutura e promoção da Inter TV Cabugi. Na realização, além de Juçara Figueiredo Produções, a Secretaria de Turismo do Governo do RN, RN Sustentável e Emprotur através do Banco Mundial.


Compartilhe:
ico_face
ico_twi